Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
Facebook Jornal Evolução       (47) 3059-1228       Whatsapp Jornal Evolução (47) 99660-9995       E-mail

Samae conta com planejamento para mais 100 anos de abastecimento de água em São Bento do Sul

Sexta, 30 de outubro de 2020

 

Clique para ampliar

O Samae de São Bento do Sul conta com uma equipe de profissionais técnicos que destaca-se pelas obras e melhorias que vem sendo realizadas na infraestrutura da autarquia.

 

Conforme o próprio diretor-presidente do Samae Fridolino Van Den Boom comenta, "nossa equipe é altamente qualificada. São diversos profissionais com mais de 20, 30 anos de Samae, e que conhecem tecnicamente muito bem o que fazem", disse.

 

O Samae é responsável pelo abastecimento de água para a população, recolhimento e destinação dos resíduos sólidos (lixo), pela coleta e tratamento de esgoto na cidade e ainda por ações ambientais e educação ambiental.

 

Particularmente sobre o abastecimento de água em São Bento do Sul o Samae conta com um planejamento iniciado em 1996 e que vem destacando-se por obras e melhorias que já garantem o abastecimento à população pelos próximos 25 anos sem necessitar de maiores investimentos, apenas da manutenção do sistema.

 

Além disso, o Samae já conta com planejamento a longo prazo, baseado em dados técnicos, e segundo Fridolino, que também é servidor do Samae há 33 anos, garantirá o abastecimento de água para a população de São Bento do Sul para mais de 100 anos, inclusive considerando o crescimento da cidade.

 

Estrutura para abastecer até 2045

Desde o ano de 2005 o Samae vem captando água do rio Vermelho para o abastecimento da cidade. A antiga captação do rio Negrinho II foi desativada em 2005 já por não ser suficiente para a demanda da época em determinados períodos do ano.

 

Como a captação ocorre no rio Vermelho, e a bacia hidrográfica do rio encontra-se na área de abrangência do PSA - Programa Produtor de Água do Rio Vermelho Pagamento sobre Serviços Ambientais, além de haver volume de água suficiente para o abastecimento, destaca-se aí a qualidade da água, pois toda a bacia hidrográfica recebe cuidados para a proteção da água.

 

Vale ressaltar ainda que o atual volume de água coletada do rio para o abastecimento da cidade é de 210 metros por segundo (média), e a outorga permite a captação de 233 metros por segundo, comprovando uma margem para o futuro do abastecimento.

 

Este fato somado à excelente qualidade das nascentes protegidas que abastecem o rio já garante margem de abastecimento até 2045 sem necessitar de maiores investimentos.

 

Outro aspecto que merece destaque para o futuro do abastecimento é que toda a rede de adutoras implantada da captação de água do rio Vermelho até a ETA no Centro é formada por tubos com 600 milímetros de diâmetro, e o volume atual captado ocupa 220 milímetros do volume destas adutoras, proporcionando um grande margem para o aumento da captação de água com os projetos futuros.

 

Quanto ao tratamento da água, a ETA - Estação de Tratamento de Água vem recebendo investimentos e modernizações que chegaram a um ponto onde a ETA já possui infraestrutura e equipamentos para atender a demanda da população pelos próximos 15 anos, sem a necessidade de ampliações. "Tudo isso é resultado de anos de planejamento, estudos técnicos e trabalhos executados", disse Fridolino.

 

"A equipe do Samae trabalha em conjunto na elaboração de planejamento inteligente. Priorizamos a modernização de equipamentos e eficiência energética, onde todo o sistema opera com mais qualidade e com mais economia, reduzindo custos com energia elétrica que são revertidos em mais investimentos na estrutura, além de poder contar com tecnologia de ponta proporcionando menos risco de manutenções, menos gastos e mais vida útil dos equipamentos", comentou o diretor técnico do Samae Luis Sergio Ferreira.

 

Outro fator que destaca-se é justamente o uso racional e planejado dos recursos do Samae.

 

Como o Samae é auditado pela ARIS - Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento, os recursos arrecadados são integralmente investidos, tanto no custeio da autarquia quanto dos investimentos realizados ao longo do tempo.

 

 

Captação no Rio Negro

Até o ano de 2017 o Samae trabalhava na possibilidade de implantar uma segunda captação de água para a cidade, que seria no rio Negro, que faz divisa com o estado do Paraná.

 

Após análises técnicas, verificou-se que não haveria condições de trazer água do rio Negro por gravidade.

 

Outro fator é a irregularidade apresentada pelo rio, que sente os períodos de estiagem.

 

Além destes aspectos que inviabilizariam a obra, agravantes como trâmites burocráticos por se tratar de rio interestadual, necessidade de implantação de uma lagoa para a captação de água, e poluição do rio que encareceria o tratamento da água foram decisivos para que o Samae não prosseguisse com o projeto de captação de água no rio Negro.

 

Berço de águas

Paralelamente o Samae vem trabalhando no fortalecimento dos rios Banhados e Negrinho II, onde já foram implantados o PSA, que garantirá o fortalecimento destes rios para o futuro. Porém, as condições para uma futura captação de água do rio banhados estão mais avançadas.

 

O rio Banhados é considerado um berço de águas por possuir uma grande área de banhado e alagado entre os bairros Schramm, Rio Vermelho e Rio Natal, ou seja, uma imensa reserva natural de água que poderá ser utilizada no futuro.

 

Construção de barragens

E pensando no abastecimento de água de São Bento do Sul para o próximo século, para mais de 100 anos, a equipe técnica do Samae já vem desde 1996 planejando e avaliando as condições favoráveis para construção de 5 barragens na área da bacia hidrográfica do rio Vermelho.

 

O projeto será concretizado para o futuro, pois até 2045 o abastecimento de água está garantido na cidade.

 

O objetivo é garantir o abastecimento da população em caso de alguma grande estiagem no futuro, onde o Samae utilizaria as reservas das barragens liberando comportas de acordo com a necessidade de consumo.

 

Os estudos que ainda serão realizados terão por objetivo também viabilizar áreas com maior profundidade e menor extensão territorial para formação destas represas e construção das barragens.

 

Conforme explanou o diretor-presidente do Samae Fridolino Van Den Boom, a equipe já vem planejando a construção de cinco barragens na região para criar reservatórios de água com o objetivo de garantir o abastecimento da população para 100 anos, com possibilidade de até 150 anos.

 

Fortalecimento econômico

Como o planejamento para estas cinco barragens tem por objetivo também vincular as áreas com exploração de atividades econômicas como turismo e lazer, mesmo sendo uma ação para o futuro, três proprietários da região da bacia hidrográfica do rio Vermelho já manifestaram interesse em disponibilizar áreas para a construção das barragens.

 

"Estas ações que nós já estamos pensando internamente há mais de 20 anos garantirão o abastecimento de água para São Bento do Sul no futuro. O Samae ainda contratará um estudo hidrográfico e um estudo técnico com características de cada represa antes de sua implantação. O que vale destacar é que a equipe de profissionais já vem trabalhando com planejamento e o pensamento para garantir o abastecimento de água das futuras gerações em nossa cidade", concluiu Fridolino.

 



Comente






Conteúdo relacionado



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


Inicial  |  Parceiros  |  Notícias  |  Colunistas  |  Sobre nós  |  Contato  | 

Contato
Fone: (47) 3059-1228
Celular / Whatsapp: (47) 99660-9995
E-mail: contatojornalevolucao.com.br



© Copyright 2020 - Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
by SAMUCA