Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
Facebook Jornal Evolução       (47) 3059-1228       Whatsapp Jornal Evolução (47) 99660-9995       E-mail

Grupos prioritários da campanha ainda podem tomar a vacina contra gripe


Clique para ampliar

A 22ª Campanha de Vacinação contra a gripe chegou ao fim nesta terça-feira, 30, após mais de três meses de duração. Santa Catarina não atingiu a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (MS) de vacinar, ao menos, 90% das pessoas que compõem os grupos prioritários. Da população total de 2.674.128 pessoas que deveriam ter tomado a dose, 74,65% se imunizaram.

Assim, as vacinas continuam disponíveis, prioritariamente, para a população dos grupos de risco, conforme recomendado pelo Ministério da Saúde. No entanto, pessoas que não fazem parte dos grupos e têm interesse em tomar a dose, também podem procurar uma unidade de saúde. A medida evita que haja desperdício de doses. A vacina fica disponível até que os estoques sejam encerrados. Santa Catarina recebeu um total de 2.706.200 doses para a campanha.

A gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), Lia Quaresma Coimbra, atribui a baixa procura pela vacina, em grande parte, pela pandemia do coronavírus. ”A gente acredita que muitas pessoas ainda estão receosas em sair de casa, mesmo tomando todos os cuidados necessários e isso acabou refletindo na cobertura vacinal”, explica. Em anos anteriores, o estado obteve melhores resultados na Campanha de Vacinação contra a gripe. Em 2019, a cobertura ficou em 87,27%. Em 2018, em 92,03%.

A vacina contra a gripe protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no inverno passado que são: influenza A (H1N1); influenza A (H3N2) e influenza B e não causa a gripe, pois é fabricada com vírus morto. Ela tem como objetivo evitar os casos graves, internações e óbitos pela doença. Além disso, neste momento, apesar de não oferecer imunidade contra o coronavírus, é uma importante ferramenta no diagnóstico da Covid-19, já que os sintomas das duas doenças são bem parecidos.

Confira como ficou a vacinação entre os grupos prioritários:

 

Grupo

População

Doses aplicadas

Cobertura Vacinal

Fase 1

Idosos com mais de 60 anos

670.028

841.668

125,62

Trabalhadores da saúde

134.793

144.617

107,29

Fase 2

Forças de segurança e salvamento

23.120

17.910

77,47

Pessoas com comorbidades

490.452

353.036

71,98

População privada de liberdade

16.400

16.544

100,88

Funcionários do sistema prisional

3.981

3.890

97,71

Caminhoneiros

145.893

32.885

22,54

Motoristas e cobradores do transporte coletivo

17.961

6.528

36,35

Trabalhadores portuários

4.277

3.202

74,87

Povos indígenas

11.459

10.698

93,36

Fase 3 (etapa 1)

Crianças de 6 meses a menores de 6 anos

470.984

326.207

69,26

Pessoas com deficiência

221.726

5.575

2,51

Gestantes

71.524

44.240

61,85

Puérperas (até 45 dias após o parto)

11.752

8.146

69,32

Fase 3 (etapa 2)

Adultos de 55 a 59 anos

303.003

117.024

38,62

Professores de escolas públicas e privadas

76.775

64.120

83,52

TOTAL

 

2.674.128

1.996.290

74,65%



Comente






Conteúdo relacionado



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


Inicial  |  Parceiros  |  Notícias  |  Colunistas  |  Sobre nós  |  Contato  | 

Contato
Fone: (47) 3059-1228
Celular / Whatsapp: (47) 99660-9995
E-mail: contatojornalevolucao.com.br



© Copyright 2020 - Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
by SAMUCA