Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
Facebook Jornal Evolução       (47) 3059-1228       Whatsapp Jornal Evolução (47) 99660-9995       E-mail

Número de focos do mosquito da dengue aumenta em São Bento

Quarta, 08 de abril de 2020

Clique para ampliar

 

São Bento do Sul tem registrados 40 focos do mosquito transmissor da dengue/zika/chikungunya e febre amarela. O número já é superior ao do ano passado todo, quando foram detectados 34 focos. Um caso de dengue também está confirmado no município e outro aguarda o resultado de exame.

O mais recente foco deste ano foi no bairro Boehmerwald, encontrado nesta terça-feira (7). Por isso, a equipe do Programa de Combate à Dengue iniciou um processo de varredura, com a delimitação de um raio de 300 metros ao redor do foco localizado para tentar identificar e eliminar possíveis criadouros próximos aonde o mosquito possa colocar seus ovos.

Os agentes vistoriam casas, terrenos e imóveis abandonados, e orientam os moradores quanto aos cuidados para evitar a proliferação do mosquito. Após a delimitação da área e vistoria, dois meses depois a equipe retorna para uma nova vistoria a fim de identificar novos focos.

Armadilhas - Dos 40 focos, 21 deles foram encontrados no mês de março e cinco apenas neste mês. Praticamente todos eles foram identificados em armadilhas feitas com pedaços de pneus e água, colocadas em diversos pontos da cidade. Todas as armadilhas são visitadas pela equipe de combate à dengue uma vez por semana e todas as larvas encontradas são analisadas. Já as armadilhas onde o foco é encontrado são queimadas e novas são instaladas.

Semanalmente os agentes do Programa de Combate à Dengue verificam as 429 armadilhas espalhadas pelo município e, a cada 15 dias, observam os 76 Pontos Estratégicos (PEs) instalados em locais mais vulneráveis como borracharias, empresas de reciclagem entre outros.

Os bairros em São Bento do Sul que foram identificados com focos do mosquito da dengue são: Cruzeiro (2); Boehmerwald (5); Dona Francisca (1); 25 de Julho (3); Oxford (4); Alpino (3); Serra Alta (5); Colonial (8); Centro (7); Centenário (1); Brasília (1).

O que fazer? - Evite usar pratos nos vasos de plantas; Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo; Mantenha lixeiras tampadas; Deixe os tanques utilizados para armazenar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d'água; Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água; Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana; Mantenha ralos fechados e desentupidos; Lave com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo uma vez por semana; Retire a água acumulada em lajes; Limpe calhas, evitando que galhos ou outros objetos não permitam o escoamento adequado da água; Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada; Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito.

Dengue é uma doença infecciosa febril causada por um arbovírus. Ela é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectado. Além da dengue, este mesmo mosquito pode transmitir chikungunya, zika vírus e febre amarela. Destas, a única que pode ser prevenida através de vacinação é a febre amarela.

 



Comente






Conteúdo relacionado



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


Inicial  |  Parceiros  |  Notícias  |  Colunistas  |  Sobre nós  |  Contato  | 

Contato
Fone: (47) 3059-1228
Celular / Whatsapp: (47) 99660-9995
E-mail: contatojornalevolucao.com.br



© Copyright 2020 - Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
by SAMUCA