Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
Facebook Jornal Evolução       (47) 3633-1230       Whatsapp Jornal Evolução (47) 99660-9995       E-mail

#JaneiroRoxo Vigilância Epidemiológica de Mafra conscientiza população sobre a hanseníase

Terça, 28 de janeiro de 2020

 

 

No mês de janeiro acontece a Campanha Nacional de Combate e Prevenção para o tratamento precoce e enfrentamento da hanseníase, e no último domingo do mês (26/01), é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase. Mas porque este assunto é tão importante? A doença pode provocar graves incapacidades físicas se o diagnóstico for tardio ou se o tratamento for inadequado.

 

Vale destacar que, a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Mafra detectou em setembro do ano passado, um caso de hanseníase no município após cinco anos sem notificações. O caso foi identificado em fase inicial e o paciente encontra-se em tratamento.

 

Tem como previnir, tratar e curar

Mafra dispõe de um serviço de atendimento ao paciente com hanseníase e às pessoas que convivem diretamente com paciente. “Pessoas que possuam sinais sugestivos de Hanseníase podem fazer uma consulta em sua unidade de saúde onde o profissional médico irá avaliar e, caso seja necessário, fará o encaminhando para atendimento no serviço de Hanseníase do município”, explicou o enfermeiro Márcio Fábio.

 

O que é hanseníase?

É uma doença infecciosa e contagiosa, que causa manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, onde pode haver também a alteração da sensibilidade, sendo diminuída diante do calor, frio, dor e até mesmo ao toque. É comum ter sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades (pés, mãos) e em algumas áreas pode haver diminuição do suor e de pelos. Atenção: o paciente pode ter dificuldades para segurar objetos, pode queimar-se e não sentir ou, por exemplo, perder os chinelos sem perceber.

 

De onde vem a doença?

A hanseníase não é hereditária. É causada pelo bacilo Mycobacterium leprae e sua transmissão acontece de pessoas doentes sem tratamento para pessoas saudáveis, pelas vias aéreas superiores (tosse, espirro, fala).

 

Como é feito o diagnóstico da hanseníase?

A detecção precoce é a melhor forma de prevenção. A doença pode ser diagnosticada em uma consulta médica em consultório ou ambulatório. O médico analisa lesões na pele com manchas (partes da pele podem não ter sensibilidade) e alterações neurológicas específicas (dormências e formigamentos). Importante: todas as pessoas que convivem ou conviveram com o paciente de hanseníase devem ser examinadas.

 

Hanseníase tem cura?

Sim, a hanseníase tem cura. Quanto mais cedo o tratamento, menores são as agressões aos nervos e é possível evitar complicações. É muito importante também o acompanhamento do paciente após a cura, bem como de seus familiares e demais pessoas que tenham tido contato direto.

 

Como é o tratamento?

O tratamento da hanseníase é simples. Em qualquer estágio da doença, o paciente recebe gratuitamente os medicamentos para ingestão via oral. O tratamento leva de 6 meses a 1 ano. Se seguir o tratamento cuidadosamente, o paciente recebe alta por cura.

 

Mais informações podem ser obtidas nas ESFs ou na Vigilância Epidemiológica, que fica localizada na Rua Marechal Floriano Peixoto, esquina com a São João Maria. Atende de segunda à sexta-feira, das 07 às 16 horas. Telefone: 3642-5867



Comente






Conteúdo relacionado



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


Inicial  |  Parceiros  |  Notícias  |  Colunistas  |  Sobre nós  |  Contato  | 

Contato
Fone: (47) 3633-1230
Celular / Whatsapp: (47) 99660-9995
E-mail: contatojornalevolucao.com.br



© Copyright 2020 - Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
by SAMUCA