Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
Facebook Jornal Evolução       (47) 3633-1230       Whatsapp Jornal Evolução (47) 99660-9995       E-mail

Franciele Funka - Coach Desenvolvimento Humano


Profissional Self Coach, formada pelo Instituto Brasileiro de Coach, atua na área de carreira para jovens de 15 a 30 anos, ajudando a se desenvolver em suas carreiras seja de sucessão fámiliar, mudança de emprego ou na escolha de sua carreira, como também na área de Cocahing de vida para adultos em busca de mais produtividade, organização pessoal ou um novo propósito para vida.

Missão: Através de minhas habilidades proporcionar o desenvolvimento de outras pessoas, proporcionando assim que cada ser humano possa explorar e acessar o melhor do seu potencial.

Colunista no http://yesmarilia.com.br  de São Paulo SP.

Facebook: franciele funka
Funpage: Coach Franciele Funka
Linkedin: Franciele Funka
Site: http://francielefunka.wix.com/meusite


Veja mais colunas de Franciele Funka - Coach Desenvolvimento Humano

DE ONDE VEM MINHA ATITUDE?

Quarta, 12 de outubro de 2016

É bastante comum ouvirmos recomendações sobre a necessidade de termos atitude, em indicações que chegam a nós por meio de professores, empresários, amigos e muitas vezes nossos próprios pais. Mas afinal, o que se pode considerar por “ter atitude”?

Antes de dar prosseguimento ao assunto em questão, é preciso considerar que a atitude é um fator que pode ter vários significados. Algumas pessoas compreendem que ter atitude consiste em fazer muitas coisas, ter muitas ações; outras pessoas, por sua vez, entendem que ter atitude também é se reservar e não ter uma exposição de forma ampliada.  O autor John Maxwell, ao tratar do assunto, posiciona-se da seguinte maneira: ter atitude é você expor um sentimento interior através de uma ação. Ou seja: atitude seria a capacidade que algumas pessoas têm de projetar externamente o que sentem internamente.

Basicamente, expressar essa tal atitude que tanto nos cobram pode se tornar um desafio, pois certos momentos exigem um alto nível de equilíbrio interno para que sua ação seja expressa de modo a contribuir com seu estado desejado.

Vindo ao encontro desse feito, resolvi explanar sobre pontos que levam você a praticar a atitude. Levando em consideração o ponto de vista do autor citado anteriormente, existem alguns fatores que nos influenciam nesse sentido, que são:

  1. Personalidade – Quem é você?

Essa pode ser – e frequentemente é – uma pergunta um tanto quanto difícil de se responder, pois nos leva a pensar e refletir sobre muitas coisas. Mas o ponto aqui é que todos nós somos diferentes; até mesmo irmãos gêmeos, com cargas genéticas idênticas e criados sob as mesmas condições, possuirão personalidades distintas. Cada um tem o seu “jeitão” natural de ser, e que impacta na sua atitude.

  1. Ambiente – O que está à sua volta?

O ambiente a que você já foi exposto, as circunstâncias nas quais vem se desenvolvendo, as situações que já enfrentou ou que atualmente vivencia, todos esses são fatores que podem influenciar sua atitude. Se você perdeu alguém que amava muito jovem, a forma como seus pais conviviam dentro de casa, os hábitos mantidos pela sua família, tudo o que está no seu convívio pode intervir no seu processo de tomar certas atitudes.

  1. A expressão dos outros – O que você sente?

Você consegue lembrar de alguma circunstância em que alguém foi duro com você? Ou de alguma oportunidade em que alguém lhe incentivou a ser melhor? Lembra-se das palavras que este alguém lhe disse em tais momentos? Aposto que sim. Na verdade, pessoas com suas palavras podem magoar ou passar algo positivo, e com isso ter um impacto sobre sua vida hoje, por mais que você não tenha consciência disso.

  1. Autoimagem – Como você se vê?

Dwayne Day afirma o seguinte: “examine os rótulos que você se atribui. Todo rótulo é um limite ou uma restrição que você não irá se permiti transpor”. A maior mudança começa dentro de você, e os sentimentos que sustenta interiormente sobre sua pessoa. O modo como você se vê interfere diretamente na atitude que toma. Como você está se vendo nesse momento?

  1. Expor-se à oportunidade de crescimento – O que você experimenta?

Quando criança você foi exposto a novas experiências ou incentivado, acompanhado por pessoas como seus pais a tomar novas ações. Nessa fase isso é algo bastante natural, porque é quando somos apresentados e vivenciamos pela primeira vez certas circunstâncias que nos acompanharão por toda a vida. Mas algumas pessoas, em função do contexto em que foram criadas, são mais estimuladas a experimentar coisas novas: viajar, conhecer pessoas diferentes, etc. Esse incentivo de fazer com que saia de sua zona de conforto ao longo de sua caminhada pode sim ter moldado a pessoa que você é hoje, pelo menos em parte. Observe o ambiente em que você vivia ou em que vive atualmente, e perceba como isso pode intervir nas suas atitudes.

  1. Cercar-se de colegas – Com quem você anda?

Existe uma passagem na bíblia, bastante conhecida, que afirma o seguinte: “Diga-me com quem andas que te direi quem és”. Já parou para analisar com quem você está passando a maior parte do seu tempo? Se você é a média das cinco pessoas com quem mais convive, quais são as forças e fraquezas das suas companhias? Esses pontos fortes e fracos certamente se refletirão nas atitudes que você tem ou pode vir a ter.

  1. Crenças – O que você pensa?

Muitos aspectos mencionados até aqui descrevem fatores que vêm desde a infância, envolvendo o convívio com outras pessoas, juntando pontos desde o passado. Mas há um fator que é muito importante, e que embora também sofra influências de vivências anteriores, está relacionado ao presente: seus pensamentos. Mas como assim? O que você pensa sobre uma pessoa, ou sobre seu trabalho, por exemplo, se refletirá em sua atitude (ação) para com ele. Se não gosto do que faço, terei ações de acordo com este pensamento; esta perspectiva acaba sendo relativamente “pobre”, não me permitindo perceber outros pontos importantes e relevantes para melhorar a situação, como por exemplo demorando a buscar outros desafios. Se pensar que pode, ou se pensar que não pode fazer algo, de qualquer forma você estará certo.

  1. Escolhas – O que você faz?

Nos primeiros anos de sua história, muitas das circunstâncias de sua vida não serão escolhas suas: onde vai nascer, quem serão seus pais, irmãos, em que escola vai estudar, e assim por diante. Mas no decorrer de sua vida e à medida em que vai se tornando independente, as escolhas passam a ser sua responsabilidade e sua vida será moldada de acordo com elas. Para mudar sua vida, você deve assumir a responsabilidade por suas atitudes, e fazer o possível para que suas escolhas sejam as mais certeiras. Mas é você quem vai decidir.

Esses pontos descritos são a base para a reflexão de onde partem as minhas e as suas atitudes; todos teremos algum tipo de experiência no decorrer da vida, mas hoje você pode ter a atitude de querer agir para transformar a sua vida e possivelmente impactar muitas mais. Só depende de você!!

Grande abraço

Fran

 



Comente






Conteúdo relacionado



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


Inicial  |  Parceiros  |  Notícias  |  Colunistas  |  Sobre nós  |  Contato  | 

Contato
Fone: (47) 3633-1230
Celular / Whatsapp: (47) 99660-9995
E-mail: contatojornalevolucao.com.br



© Copyright 2020 - Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
by SAMUCA